Livre pensadora e médium, passou por uma transformação espiritual que mudou a sua vida, quando reconheceu a voz do EU Superior e passou a seguir a consciência do coração cancelando processos mentais negativos que haviam criado impressões limitantes de medo e escassez como também doenças. 

Visionária, motivada por seu auto encontro e transformação pessoal Karla vem conduzindo Retiros, vivências e atendimentos que facilitam a limpeza de memórias, o despertar da presença e a paz interior.

Terapeuta sistêmica e espiritual com foco nas Constelações Familiares e Medicinas Ancestrais é dirigente de cerimônias espirituais de ayahuasca e rodas de cura. Tem iniciações em REIKI e Cura Prânica (1998). Formações com certificações internacionais em Coaching Sistêmico e Integrativo (2007), Hipnose Ericksoniana, Practitioner, Master e Trainer em Programação Neulolinguística - PNL, Ouro Verde Alinhamento Energético, Constelação Familiar (2008) e Organizacional, Barras Access Consciousness® e  Emotional Freedom Techiniques - E.F.T., mas o que mais lhe traz o despertar é o contato com a natureza e seus mentores, tanto como o Silêncio e as Meditações. A sagrada bebida, medicina da floresta também lhe mostra o caminho real do SER. Todos os seus trabalhos são voltados para o Despertar da Consciência, equilíbrio do Corpo, Mente e Espírito.

"Não há nada para se aprender, apenas podemos deixar o que realmente somos brotar de nosso interior.Ter uma súbita distração da programação condicionada e então de fato sermos quem somos." Eu amo você!

CONTATO  constelarcomkarla@gmail.com   

 

12.99642-7373   São Francisco Xavier - SP

Tire alguns minutos para ficar presente conscientemente. Ver, ouvir e sentir a você mesmo, seu corpo, seus sentimentos e simultaneamente tudo a sua volta. Perceba-se em todo o seu ser. Esteja no aqui e no agora. Incorpore-se!

Se não puderes enxergar o simples, nunca encontrarÁs a ti mesmo.

  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Ícone

Que eu não perturbe a paz que a vida tem como propósito pra mim. 

Normalmente quando estamos "sofrendo" significa que estamos fazendo algo contra nós mesmos. Algo contra a nossa natureza autêntica. Então o caminho se torna pesado, muito pesado, e os sentimentos predominantes de medo, raiva e frustração, criam uma repetição e dificultam mais ainda ter um novo olhar para a "saída"


É comum ouvir estas pessoas dizendo: Estou me sentindo perdida(o). É como se estivessem num labirinto, se sentem extremamente cansadas e sem energia para prosseguir. Apertos na região do chacra cardíaco, no peito, ou sensação de contrações no plexo solar, região do estômago. Isso lhes causa mais medo, muito medo, e afastadas do sentido verdadeiro do EU, sentem mais dificuldade ainda de se colocarem diante das respostas que desejam dar às situações e através da dificuldade de dizer não se atolam mais ainda nas situações que não desejam, se afastando completamente de seus propósitos de vida.

Tudo isso criou uma noção completamente equivocada do EU verdadeiro, é como se um empregado tivesse se apossado da casa de seu patrão, fazendo com que ele pense que não tem o seu próprio lugar em sua própria casa. Fica desorientado e começa a servir ao seu empregado, como se empregado dele fosse. Este é o falso ego que com uma venda cobre os olhos de quem sofre.

O amor, o amor verdadeiro que está ligado à grande conexão interna com o todo,  com Deus,  com o grande mistério, te abre uma sensibilidade tal que para chegar a ele, às vezes, é necessário que chores. Sim, que chores e tuas lágrimas te lavem das lamentações e lamúrias,  façam ruir suas paredes que criaram tanta separação entre tu e o divino, e que por fim te  façam  parar,  te  façam  parar.  Será que  você  não vê  que é preciso parar?  Parar e se  aprofundar  em você mesmo. Mergulhar como quem mergulha em um poço de água pura e respirando dentro d'água vai até o fundo, bem fundo, e lá, se vê num grande espelho. Se encontra consigo mesmo. Se acha, se cura.  Por isso é que você precisa parar, por isso é que você precisa chorar. Não um choro de lamentação, mas um choro de amor. Um choro de amor.

Experimentar a presença, é perceber que não há qualquer desejo, nem qualquer anseio, nem pensamentos; 

e sim o que há de mais sagrado, e fruto da incansável busca interna do ser humano. A paz. A silenciosa paz.

Nos desafios mantenho o meu equilíbrio, a calma descansa em mim. Quem vai a batalha é meu poder interior, munido da ressonância de tudo que fiz.

O amor, o amor verdadeiro que está ligado à grande conexão interna com o todo,  com Deus,  com o grande mistério, te abre uma sensibilidade tal que para chegar a ele, às vezes, é necessário que chores. Sim, que chores e tuas lágrimas te lavem das lamentações e lamúrias,  façam ruir suas paredes que criaram tanta separação entre tu e o divino, e que por fim te  façam  parar,  te  façam  parar.  Será que  você  não vê  que é preciso parar?  Parar e se  aprofundar  em você mesmo. Mergulhar como quem mergulha em um poço de água pura e respirando dentro d'água vai até o fundo, bem fundo, e lá, se vê num grande espelho. Se encontra consigo mesmo. Se acha, se cura.  Por isso é que você precisa parar, por isso é que você precisa chorar. Não um choro de lamentação, mas um choro de amor... um choro de amor.

Que o amor por você mesmo, brote como uma fonte do seu próprio interior, lavando e limpando todo e qualquer medo que você ainda possa ter. Eu sinto muito, me perdoe, te amo, sou grata!

Eu tenho uma relação com o sagrado. Isso não tem nada a ver com religião.

Eu preciso sentir a alvorada tocando em minha pele com suas lindas mãos de brisa.

Eu preciso deixar que o ar fresco penetre em minhas narinas, que se abrem e permitem que ele vá até as mais profundas entranhas. Assim eu posso expirar trazendo o mais profundo prazer de estar completamente viva e pronta para o dia que vem ao meu encontro.

Não sei se ele quer me apunhalar pelas costas ou me embalar em seu manto. Mas sei sim, que sim, estou pronta para o dia. Pronta como quem se entrega a uma força superior que move as vontades e que escreve: Ali jaz uma alma endurecida; não precisou de chicote, pois encarnou  o culto à própria vida.

Essa é a minha relação com o sagrado.

Essa é a minha relação com a vida.

E isso, não tem nada a ver com religião.

Você deve focar todas as suas forças na direção de algo que te ajude a relembrar quem

você verdadeiramente é. Apenas isso.

Todas as situações pelas quais você passa, todas, todas, todas,

são apenas subterfúgios divinos para fazer com que você se relembre de quem você é.

 

Se relembre de sua grandeza...
Se relembre de sua beleza...
E principalmente, se relembre do amor...

Ahhh o amor...

 

O amor faz com que você tome posse de sua amplitude,
O amor faz com que você se dignifique por dentro,
O amor faz com que você se avassale de regozijo,

O amor consegue fazer tantas coisas.

Por isso eu peço , por favor, que você foque a sua energia em descobrir quem você eternamente é.

 

Pois quando você se lembrar,

Ahhh quando você se lembrar...

 

Simplesmente você vai se apaixonar por você!

 

E quando você se apaixonar por você,
vai saber que conseguiu realizar a sua missão,
vai saber que completou o que veio fazer.

 

Então você vai poder morrer,

Sim, você vai morrer de rir!

Karla de Araújo

constelarcomkarla@gmail.com    12.99642-7373   

 

Casa da Águia - São Francisco Xavier, Distrito de São José dos Campos - SP

CONSTELAÇÃO FAMILIAR - LEITURA DO CAMPO VIBRACIONAL - XAMANISMO - IMERSÕES COM AYAHUASCA 

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon